Seguidores

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 7 de março de 2011

Tempo Litúrgico - Quaresma

Tempo privilegiado de conversão, de combate espiritual, de jejum medicinal e caritativo, a Quaresma ainda é, e sobretudo tempo de escuta da Palavra de Deus, de uma catequese mais aprofundada, que recorda aos cristãos os grandes temas batismais, em preparação para a Páscoa.
Batizados na morte e ressurreição de Cristo, devemos viver segundo uma moral de ressuscitados, seguindo, não uma lei abstrata, mas o exemplo de Cristo, em sua obediência filial de Pai.
No Tempo da Quaresma, o povo de Deus empreende um esforço exigente, porém libertador, que deve abri-lo ao chamado do Senhor e da comunidade cristã. Privando-se do alimento terreno, nas múltiplas formas que lhe apresentam, aprenderá a saborear, acima de tudo, o pão da Palavra de Deus e da Eucaristia, e melhor sentirá o dever de dividir os bens com os outros.
O Concílio Vaticano II recomenda que "a penitência quaresmal não seja só interna e individual, mas sobretudo externa e social. E a prática penitencial, segundo as possibilidades do nosso tempo e das diversas regiões, como também consoante as condições dos fiéis, incentivada e...recomendada (SC 110)".
Celebrar a Eucaristia no tempo da Quaresma significa:
a) percorrer, juntamente com Cristo, o itinerário da provação que pertence à Igreja e a cada homem;
b) assumir mais decididamente a obediência filial ao Pai e o dom de si aos irmãos, que constituem o sacrifício espiritual.
Assim, renovando os compromissos do nosso Batismo na noite pascal, poderemos "fazer a passagem" para a vida nova de Jesus-Senhor ressuscitado, para a glória do Pai, na unidade do Espírito.

Quando começa o Tempo da Quaresma e quando termina?

O Tempo da Quaresma começa na Quarta-feira das Cinzas e vai até a Missa "na Ceia do Senhor", exclusive (na Quinta-feira da Semana Santa). Esta missa vespertina dá início, nos livros litúrgicos, ao Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor, que tem seu ponto alto na Vigília pascal e termina com as Vésperas do Domingo da Ressurreição.
A semana que precede a Páscoa recebe o nome de Semana Santa e tem início com o Domingo de Ramos "na Paixão do Senhor".

Como começa o Tempo da Quaresma?

A Quaresma principia com um rito penitencial efetuado em dia ferial, quarta-feira, acompanhado de jejum e abstinência; este dia é denominado Quarta-feira de Cinzas e tem precedência sobre todas as outras celebrações.

Na Quarta-feira de Cinzas pode-se receber as Cinzas fora da Santa Missa?

Sim.
O rito da benção e imposição das cinzas não é necessariamente unido à Missa; pode ser celebrado sem esta. Neste caso, é oportuno fazer preceder ao rito uma Liturgia da Palavra, como na Missa, com o canto de entrada, a oração e as leituras com os cânticos correspondentes; segue-se a homilia, depois a benção e imposição das cinzas. O rito termina com a oração dos fiéis.
Os textos dessa celebração são tomados à liturgia da Quarta-feira de Cinzas.

As férias (isto é, os dias feriais) da Quaresma tomam a denominação da semana que se inicia com o domingo. O Missal Romano apresenta cinco semanas da Quaresma, às quais se acrescentam no início os dias que vão da Quarta-feira de Cinzas ao sábado que precede o I Domingo da Quaresma. Todas as férias da Quaresma têm precedência sobre as memórias obrigatórias.

As férias da Semana Santa, a saber, da segunda à quinta-feira com a Missa do Crisma (Missa dos Santos Óleos), são parte integrante do Tempo da Quaresma; estes dias santos têm preferência sobre todas as outras celebrações.

Como fica as Solenidades e as Festas no Tempo da Quaresma?

As solenidades e as festas (p.ex. Cátedra de S. Pedro Apóstolo, 22 de Fevereiro) tem precedência sobre as férias da Quaresma.
No caso em que a solenidade de S. José, esposo da Virgem Maria (19 de março) e da Anunciação do Senhor (25 de março) - como outras possíveis solenidades inscritas no Calendário particular - coincidirem com os Domingos da Quaresma, antecipa-se sua celebração para o sábado.
Uma solenidade que eventualmente cair nos dias da Semana Santa, transfere-se para o primeiro dia livre após a oitava de Páscoa.
As memórias obrigatórias que acidentalmente caírem na Quaresma consideram-se e celebram-se como "memórias facultativas".
Na prática, pode a "memória" encontrar lugar na Missa da féria, substituindo a Coleta (Oração do Dia, antes da Liturgia da Palavra) dessa Missa pela do Santo, contanto que não ocorra na Quarta-feira de Cinzas ou em uma féria da Semana Santa.

Como fica o Glória e o Aleluia no Tempo da Quarema?

Na Missa do Tempo da Quaresma não se diz o Glória; omite-se o Aleluia no canto da Missa e, em particular, na aclamação do Evangelho: é substituído por uma aclamação a Cristo Senhor.

Qual a Cor Litúrgica própria desse Tempo?

A cor litúrgica no Tempo da Quaresma é o roxo.


E como fica as palmas no Tempo da Quaresma?

Bem, na verdade as palmas não fazem parte da Santa Missa, nem é gesto litúrgico reconhecido pela Igreja.
Os gestos litúrgicos são: ficar de joelhos (Ato Penitencial e no momento da Consagração - dentro da Oração Eucarística), sentado (Liturgia da Palavra, salvo na hora do Evangelho; Homilia e Ofertório) e em pé (entrada do Sacerdote, Glória, Coleta, Aclamação do Evangelho, Evangelho, Profissão de Fé, Oração dos Fiéis, Oração sobre as Oferendas, Oração Eucarística, Rito da Comunhão) como podemos verificar no Missal Romano.
Assim, não devemos bater palmas em nenhuma Missa (nem na hora do Glória, nem do Santo).
Ora, se não devemos bater palmas em momento algum na Santa Missa no Tempo Comum, menos ainda no Tempo da Quaresma, que é um tempo de austeridade, penitência e preparação para a Páscoa.

Missal Cotidiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...