Seguidores

Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de março de 2019

Solenidade da Anunciação do Senhor




Evangelho de Lucas 1, 26-38

Naquele tempo: 26 O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria. 
28 O anjo entrou onde ela estava e disse: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!’ 
29 Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 
30 O anjo, então, disse-lhe: ‘Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 
31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 
32 Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 
33 Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim’. 
34 Maria perguntou ao anjo: ‘Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?’ 
35 O anjo respondeu: ‘O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus
36 Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37 porque para Deus nada é impossível’
38 Maria, então, disse: ‘Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!’
E o anjo retirou-se. 


NOVENA

Para ser rezada diariamente, durante 9 meses: 
de 25 de março até 25 de dezembro, ou seja, da Anunciação até o Natal do Senhor.

Ó Maria, virgem Imaculada, Porta do Céu e causa da Nossa Alegria, 
Respondendo com generosidade ao Anúncio do Arcanjo São Gabriel, 
Vós pudestes dar curso ao plano de Deus para nossa salvação. 
Vós fostes, pela Providência Santíssima desde toda a eternidade, constituída morada digna do Filho de Deus Encarnado. Pelo vosso “sim” e fidelidade ao Pai celeste, 
O Espírito Santo teceu em vosso ventre Jesus, nosso Senhor e Salvador. 
Eis que desejando que o Filho de Deus que quis nascer em Vós, nasça também em meu coração e conceda-me o perdão de meus pecados, prostro-me aos vossos pés e vos imploro, com todo o fervor de minha alma, que vos digneis alcançar-me, do vosso Filho, a graça que tanto necessito… (colocar a graça) 
Ouvi minha súplica, ó Virgem Santíssima, Vós que, perante o trono da Graça, sois a “Onipotência Suplicante”, enquanto vou meditando, com reverência e filial afeto, todos os momentos de dor e de alegria, de desolação e de providência, que vos acompanharam em vossa bendita e singular Gestação, na qual trouxestes em vosso ventre por nove meses o Filho do Deus Altíssimo. 
Amém.


Fonte: Pe. Paulo Ricardo (YouTube)

Nossa Senhora da Anunciação, rogai por nós!

domingo, 24 de março de 2019

Quaresma! Penitência aos domingos: sim ou não?



“Que todos estejam alegres no primeiro dia da semana”, diz um documento cristão antigo. 
Mas a alegria cristã é incompatível com a realidade da mortificação? 
As penitências feitas durante o tempo da Quaresma, por exemplo, devem ser interrompidas no Dia do Senhor?



Nossa Senhora da Anunciação, rogai por nós!

sábado, 23 de março de 2019

O Ataque de Satanás à Mulher!



I Parte





II Parte





III Parte





IV Parte







Nossa Senhora da Anunciação, rogai por nós!

sexta-feira, 22 de março de 2019

Por que os católicos não comem carne às sextas-feiras na Quaresma

Shutterstock-trindade51


Philip Kosloski | Mar 12, 2019

E por que o peixe está no cardápio

Você sabe que está em uma cidade católica quando, durante a Quaresma, os restaurantes anunciam apenas peixe no cardápio. Eu já vi até como grandes redes de fast-food colocam o peixe em destaque especialmente na Quarta-feira de Cinzas.

Mas por que a Igreja orienta os católicos a se absterem de carne às sextas-feiras (assim como na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa), e dá o sinal positivo para se comer peixe?

Primeiro de tudo, devemos fazer a pergunta: “por que sexta-feira?”

Os povos católicos, desde tempos imemoriais, guardaram a sexta-feira para uma observância penitencial especial pela qual eles alegremente sofrem com Cristo para que um dia possam ser glorificados com Ele. Este é o coração da tradição da abstinência de carne às sextas-feiras, tradição que tem sido observada na Santa Igreja Católica.

Uma vez que se acredita que Jesus Cristo sofreu e morreu na cruz numa sexta-feira, os cristãos, desde o início, dedicaram esse dia para unir seu sofrimento a Jesus. Isso levou a Igreja a reconhecer todas as sextas-feiras como uma “Sexta-feira Santa”, onde os cristãos podem lembrar a paixão de Cristo, oferecendo um tipo específico de penitência.


Na história da Igreja, a carne sempre foi apontada como um sacrifício digno, devido à sua associação com festas e celebrações.


Na maioria das culturas antigas, a carne era considerada uma iguaria e o “bezerro engordado” não era abatido a menos que houvesse algo para comemorar. Como as sextas-feiras passaram a ser consideradas um dia de penitência e mortificação, comer carne nesse dia para “celebrar” algo não parecia certo.

Mas por que o peixe não é considerado “carne”?

As leis da Igreja classificam a abstinência de “animais terrestres”.

As leis de abstinência consideram que a carne vem apenas de animais como galinhas, vacas, ovelhas ou porcos – todos eles vivem em terra. As aves também são consideradas carne. Peixes, por outro lado, não estão nessa mesma classificação.

Os peixes são uma categoria diferente de animal. Sal e espécies de peixes de água doce, anfíbios, répteis (animais de sangue frio) e mariscos são permitidos.

Em latim, a palavra usada para descrever que tipo de “carne” não é permitida às sextas-feiras é carnis, e se refere especificamente a “carne animal”, nunca incluindo peixe como parte da definição. Além disso, o peixe nessas culturas não era considerado uma refeição “comemorativa”.

Nossa cultura atual é muito diferente, já que a carne em muitos países pode ser considerada a opção mais barata do cardápio e não tem mais a conexão cultural com as celebrações. É por isso que muitas pessoas estão confusas sobre os regulamentos, especialmente aquelas que apreciam muito comer peixe e não consideram uma penitência ficar sem carne.

A intenção da Igreja é encorajar os fiéis a oferecer um sacrifício a Deus que venha do coração e una o sofrimento de alguém ao de Cristo na cruz.

A carne é considerada a penitência básica, mas o sentido da regra deve ser sempre recordado. Por exemplo, não dá necessariamente a uma pessoa a licença para comer um jantar de lagosta toda sexta-feira na Quaresma. O ponto principal é fazer um sacrifício que atraia uma pessoa para mais perto de Cristo, que por amor a nós fez o sacrifício supremo.

Fonte: Aletéia

São José, rogai por nós!

quinta-feira, 21 de março de 2019

Como fazer uma Confissão Geral?

A Santa Igreja Católica dispõe a todos os católicos que eles devem aproximar-se do Sacramento da Reconciliação, PELO MENOS, uma vez ao ano. E, ainda, que os Católicos devem comungar, obrigatoriamente, na Páscoa (Comunhão Pascal).

Segundo Mandamento da Igreja:
Confessar-se ao menos uma vez por ano

Terceiro Mandamento da Igreja: 
Receber o Sacramento da Eucaristia ao menos pela Páscoa da Ressurreição

Assim, a Quaresma, tempo de conversão, é o momento oportuno para que os Católicos se aproximem do Sacramento da Reconciliação como preparação para receberem o Sacramento da Eucaristia na Páscoa.

Cân. 916 - Quem está consciente de pecado grave não celebre a missa nem comungue o Corpo do Senhor, sem fazer antes a confissão sacramental, a não ser que exista causa grave e não haja oportunidade para se confessar; nesse caso, porém, lembre-se que é obrigado a fazer um ato de contrição perfeita, que inclui o propósito de se confessar quanto antes.

Cân 920 - § 1. Todo fiel, depois que recebeu a santíssima Eucaristia pela primeira vez, tem a obrigação de receber a sagrada comunhão ao menos uma vez por ano.
§ 2. Esse preceito deve ser cumprido no tempo pascal, a não ser que, por justa causa, se cumpra em outro tempo dentro do ano.

Porém, muitos católicos estão distantes desses Sacramentos e, mais ainda, tem receio, medo, vergonha e não sabem como devem confessar-se.

Para aqueles que estão a anos sem aproximar-se desse Sacramento e estão querendo confessar-se e para aqueles que, mesmo confessando sempre, querem nesse Tempo Quaresmal uma conversão mais profunda, esse vídeo do pe. Leonardo vem nos ensinar sobre a Confissão Geral e como fazê-la. 



E, ainda, vídeo sobre algumas dúvidas quanto a Confissão:




Fonte: Pe. Leonardo (YouTube) e Código de Direito Canônico


Vejam ainda:








São José Puríssimo e Justo, rogai por nos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...