Seguidores

Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

CONSAGRAÇÃO AO ANJO DA GUARDA

 
Libertação de São Pedro pelo Anjo

1. O que é a consagração ao Santo Anjo da Guarda?

A idéia de consagração já se encontra no Antigo Testamento, quando Deus escolheu para Si o povo de Israel para concluir com ele uma aliança. Deus o "consagrou" para ser Sua propriedade, separando-o dos outros povos e colocando-o a Seu serviço (cf. Ex 19,6).
No entanto, é só com Nosso Senhor Jesus Cristo que se pode falar de "consagração" no sentido próprio da palavra. Pois é Ele "Aquele que o Pai consagrou e enviou ao mundo" (Jo 10, 36). 
A consagração original e principal, fonte de toda a consagração, é a da natureza humana de Cristo. Ele é o "Santo de Deus" (Jo 6,69), porque Sua humanidade é totalmente consagrada pela Sua divindade. Foi na Cruz que Cristo estendeu Sua consagração a nós: "Eu me consagro por eles para que também eles sejam consagrados" (Jo 17, 19):

"Com efeito, Cristo, Filho de Deus, que é proclamado << o único Santo >>, com o Pai e o Espírito, amou a Igreja como a Sua esposa, entregou-Se por ela para santificá-la, uniu-a a Si como Seu Corpo e cumulou-a com o dom do Espírito Santo para glória de Deus." (Lumen Gentium, n.39)

A Igreja é o lugar onde acontece a nossa consagração, cuja primeira e fundamental é a do sacramento do Batismo, pela qual participamos da consagração de Cristo que é aperfeiçoado pelo sacramento da Crisma. A essa consagração, que nos une a Cristo, deve corresponder uma entrega de toda a nossa vida a Deus, pois os "santificados em Jesus Cristo" são "chamados a ser santos" (1 Cor 1, 2).

Nossa consagração não é somente um dom, mas também uma tarefa. Aí há diferentes caminhos de aprofundá-la. 
Aqueles que são chamados para a vida consagrada aprofundam-na pela profissão dos conselhos evangélicos, na qual consagram toda a sua existência a Deus.
Mas também os leigos são convidados a viver mais plenamente a sua consagração batismal. Um caminho privilegiado para isto constitui uma "consagração" pela qual, à semelhança da consagração religiosa, a pessoa entrega a si mesma a Deus. A consagração ao Sagrado Coração de Jesus é o exemplo clássico a este respeito.

Dentre estas "consagrações" (de devoção) há também aquelas que não se dirigem exclusivamente a Deus, mas a Nossa Senhora, aos Anjos e aos Santos. No entanto, elas têm seu fim último igualmente em Deus. 
Como disse São Luis de Montfort a respeito da consagração mariana: "Quanto mais uma alma for consagrada a Maria, tanto mais será a Jesus Cristo". (Tratado da Verdadeira Devoção a Maria, 120)
Coisa semelhante se pode dizer a respeito da consagração ao Anjo da Guarda. Quanto mais uma pessoa for consagrada ao seu Anjo, tanto mais este poderá ajudá-la a amar e a servir a Deus e ao próximo e, desta forma, ela será mais plenamente consagrada a Deus.

 2. Qual é o conteúdo da consagração ao Santo Anjo da Guarda?

"A vós Deus me confiou desde o início da minha vida".

O anjo da Guarda é um dom especial do amor de Deus. Se nos fosse dado escolher entre todos os Santos Anjos um protetor e auxiliar especial, não poderíamos encontrar um melhor do que aquele que Deus, na sua Sabedoria e amor infinitos, já escolhera para nós. Só Deus conhece o mistério da nossa vida. Só Ele, nosso Criador e Redentor, conhece todos os nossos pontos fortes e fracos, a nossa vocação e as nossas provações, a nossa cruz e a glória a nós destinada. Prevendo tudo isso, Ele escolheu, desde toda a eternidade, um dos Anjos para ser o nosso Anjo da Guarda: ele para mim e eu para ele. O Senhor nos diz:

"Vou enviar um Anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho e te conduza ao lugar que eu preparei" (Ex 23, 20; leitura da festa dos Santos Anjos da Guarda).

"Entrego-me a vós"

A consagração ao Anjo da Guarda constitui uma ligação forte àquele a quem Deus nos confiou desde o início da nossa vida. Como Cristo nos entregou à Sua Mãe, quando suspenso na Cruz, disse: "eis o teu filho", assim Deus nos confiou à proteção de um Anjo particular, como que dizendo: "eis o teu irmão".

No entanto, a palavra "eis o teu irmão" vale também para nós. Pois o próprio Deus colocou ao nosso lado um Anjo para ser nosso irmão celeste. Por isso lhe devemos muito respeito, por ser ele um espelho claro da vontade de Deus.

Falando-nos na nossa consciência em nome de Deus ele merece toda a nossa atenção, toda a nossa obediência. Por isso:

"Vos prometo o meu amor e a minha felicidade"

Quanto devemos ao Anjo da Guarda!
Quem poderá lhe pagar o salário devido?
Um amor tão fiel só pode ser correspondido com fidelidade, amor e confiança. Por isso nos entregamos a ele com muito gosto e lhe prometemos o nosso amor e fidelidade. Se nós somos fracos, ele, que "contempla sem cessar a face do Pai que está nos Céus" (Mt 18, 10), está firme e imutavelmente ancorado em Deus. Ele quer nos proporcionar esta firmeza, ajudando-nos, mediante a luz da graça de que é dotado, a acreditar ainda mais firmemente em Deus, a confiar ainda mais fortemente no Seu auxílio e a amar ainda mais desinteressadamente Deus e o próximo. Com a sua ajuda seremos capazes de manter sempre a fidelidade a Deus.

3. Quais são os frutos da consagração ao Anjo da Guarda?

* A proteção contra o egoísmo e o maligno:

"protegei-me contra a minha fraqueza e contra os ataques dos espíritos".

O Anjo da Guarda é o auxílio seguro contra os espíritos malignos que nos tentam e afligem, pois já no início do tempo o nosso Anjo da Guarda, guiado pelo Arcanjo São Miguel, participou da vitória contra os espíritos malignos. Sendo espírito, pode facilmente reconhecer o tentador e afugentá-lo em virtude da graça. Se, no entanto, Deus permitir o inimigo peneirar-nos como Jó (Jó 1, 12; 2,6), como Pedro (Lc 22, 31) ou como Paulo (2 Cor 12, 7-8) nunca nos faltará a assistência reconfortante do Santo Anjo da Guarda.

* Iluminação e fortificação:

"iluminai a minha mente e o meu coração, para que eu sempre reconheça e cumpra a vontade de Deus"

O Anjo da Guarda é, para nós, a porta para o mundo dos Anjos e, de certo modo, o porteiro do Céu. Sendo ele enviado por Deus a nós, aplica-se em primeiro lugar a ele a palavra do Catecismo: "Os Anjos cooperam para todas as nossas boas obras" (CIC 350; cf. Suma Teológica I, q. 114, a. 3, ad 3). Ele é o nosso melhor e mais fiel amigo, aquele que, além de Jesus e Maria, nos acompanha e protege ininterruptamente durante toda a nossa vida.

Toda a sua solicitude e intercessão são dirigidas primeiramente ao seu protegido, o qual é o "talento" que lhe foi confiado e que ele tanto deseja devolver ao Senhor, com "lucro" cêntuplo, no fim da vida. Deste modo, ele cuida incansavelmente, dia e noite, do nosso bem e da nossa salvação eterna. Infatigavelmente se esforça pela nossa purificação, iluminação e perfeição. Destas três atividades hierárquicas dos Anjos, São Boaventura escreve: "A purificação produz a paz, a iluminação conduz à verdade e a perfeição realiza a caridade...", para que por meio dela tenhamos a devida força para o cumprimento da vontade de Deus.
"...Estes três atos, frequentemente praticados, dão a felicidade à alma e, quanto melhor praticados, mais aumentam os seus méritos" (Os três caminhos do amor, prólogo 1).

 * A união com Deus Uno e Trino:

"E conduzi-me à união com Deus Pai, Filho e Espírito Santo".

A felicidade de Deus consiste na perfeita comunhão de amor de que as Pessoas Divinas gozam. O Deus uno e trino quer nos fazer participar desta Sua comunhão: "Que todos sejam um como Nós" (Jo 17, 19). É o Seu eterno plano de amor de unir a Si todas as criaturas unindo-as, ao mesmo tempo, entre si. ("reunir tudo o que há no céu e na terra em Cristo" - Ef 1, 10).
Consagrando-nos ao Anjo da Guarda, ele terá uma maior influência em nossa vida e, assim, poderá nos conduzir a uma comunhão cada vez mais íntima com Deus. Ao mesmo tempo, experimentaremos uma profunda união com o nosso protetor, como diz o Catecismo:
"Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos Anjos e homens, unidos em Deus" (CIC 336).
Esta união entre Anjo e homem que começa nesta vida será consumada na vida eterna.

Por toda a eternidade estaremos unidos em íntima amizade ao Anjo da Guarda e reinaremos com ele no Reino de Deus. Deste modo, podemos compreender as palavras de São Tomás de Aquino:

"A todo homem, enquanto peregrino, é dado um Anjo da Guarda. Quando, porém, já tiver chegado à meta do caminho, não terá mais um Anjo da Guarda; no entanto, terá no Reino o Anjo reinando com ele" (Suma Teológica I, q. 113, a. 4c)

4. Como fazer a consagração ao Santo Anjo da Guarda?

# De modo Privado

Assim como existem os votos privados, isto é, uma pessoa pode, sozinha ou diante do seu confessor, prometer a Deus a castidade, obediência e pobreza, assim também se pode fazer esta oração de consagração em particular. 
Recomenda-se fazer antes uma preparação, por exemplo, em forma de uma novena.

CONSAGRAÇÃO AO SANTO ANJO DA GUARDA

Vós, meu bom Anjo da Guarda, que vedes continuamente a face do nosso Pai que está nos céus (cf. Mt 18,10), a vós Deus me confiou desde o início da minha vida.
Agradeço-vos de todo meu coração por vossos amorosos cuidados. Entrego-me a vós e vos prometo o meu amor e a minha fidelidade.
Peço-vos: protegei-me contra a minha fraqueza e contra os ataques dos espíritos malignos; iluminai a minha mente e o meu coração, para que eu sempre reconheça e cumpra a vontade de Deus, e conduzi-me à união com Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
Amém. 
(texto aprovado pela Igreja)

# De modo Oficial, perante a Igreja

Existe uma forma ainda mais forte e comprometedora de fazê-la. Assim como os votos feitos dentro de uma comunidade religiosa têm um alcance diferente dos privados, também existe na Igreja uma Obra que tem por finalidade conduzir os fiéis a uma união mais íntima com os Santos Anjos justamente através da consagração ao Anjo da Guarda. 


A Igreja aprovou tal ato de consagração no dia 31 de maio do ano 2000, por isso a Obra pode, através deste ato, admitir as pessoas na Confraria dos Santos Anjos da Guarda.

Nela, a vivência de tal Aliança receberá um efeito maior, como quando um soldado, em vez de lutar sozinho contra o inimigo, está ligado a um exército. Na Confraria os membros serão formados espiritualmente, a fim de que, colaborando melhor com os Santos Anjos, cresçam mais seguramente na vida espiritual.

Fonte: O Nosso Anjo da Guarda, Uma pequena Introdução à Devoção aos Santos Anjos (com imprimatur), da Confraria dos Santos Anjos (OA)

SANTO ANJO DO SENHOR
MEU ZELOSO GUARDADOR,
SE A TI ME CONFIOU A PIEDADE DIVINA,
SEMPRE ME REGE, GUARDA, GOVERNA E ILUMINA.
AMÉM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário sujeito a moderação.
Perguntas podem ser respondidas em novas postagens, para saber, clique no Marcador: "Respostas"
Que Deus os abençõe.
Obrigada

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...