Seguidores

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Sacramento do Batismo

Papa Bento XVI realizando o Sacramento do Batismo por infusão

"Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28, 19)

O Sacramento do Batismo na Igreja Católica é administrado desde o dia de Pentecostes aqueles que creem em Jesus Cristo (Ato 2, 37-41), e é necessário para a salvação, para aqueles aos quais o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento.
O Batismo é o sacramento da fé. Porém, a fé que se requer para o batismo não é uma fé madura, mas um começo, que deve desenvolver-se. Em todos os batizados, crianças e adultos, a fé deve crescer após o batismo. É por isso que a Igreja celebra todo ano, na noite da Vigília Pascal (Sábado Santo), a renovação das promessas batismais.

O Código de Direito Canônico ao dispor sobre o Batismo determina que o rito essencial consiste em mergulhar na água o candidato ou em derramar água em sua cabeça, pronunciando a invocação da Santíssima Trindade, isto é, do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Assim, na Igreja Católica o Sacramento do Batismo se dá tanto por imersão quanto por infusão (Can 854).

Sacramento do Batismo por imersão na Paróquia Nossa Senhora da Esperança (Brasilia-DF)

Qualquer pessoa ainda não batizada pode receber o Sacramento do Batismo, podendo ser adulto ou criança.
O Código de Direito Canônico determina, ainda, que o sacramento do batismo pode ser celebrado em qualquer dia, no entanto, deve ser celebrado normalmente aos domingos ou, quando possível, na Vigília Pascal (Can 856). Sendo o lugar próprio para o batismo a Igreja ou o Oratório (Can 857).

Quais os efeitos do Batismo?

O Batismo perdoa o pecado original, todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado; faz participar da vida divina trinitária mediante a graça santificante; faz participar do sacerdócio de Cristo e constitui o fundamento da comunhão com todos os cristãos; propicia as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo.
O batizado pertence para sempre a Cristo: é marcado, com efeito, com o selo indelével de Cristo (caráter).

Por que Batizar Crianças?

O Batismo das crianças se dá porque tendo eles nascido com o pecado original precisam ser libertados do poder do Maligno e ser transferidos para o reino da liberdade dos filhos de Deus.
A prática de batizar crianças é uma tradição antiga na Igreja Católica sendo atestada explicitamente desde o Século II. No entanto, é possível que seja feito desde o início da pregação dos apóstolos.

"Foi batizada juntamente com a sua família" (Atos 16, 15)
"Imediatamente foi batizado, ele e toda a sua família" (Atos 16, 33)
"Batizei também a família de Estefanas" (I Cor 1,16).

Os pais devem batizar os seus filhos dentro das primeiras semanas após o nascimento.
Para que a criança seja licitamente batizada é necessário:
a) que pelo menos um dos pais o consintam;
b) haja fundada esperança de que será educada na religião católica.

Pode-se batizar uma criança nascida fora do casamento religioso?

Sim.
Toda criança pode ser batizada na Igreja Católica, desde que, o sacerdote tenha provas razoáveis de que será educada na fé.

*O pe. Paulo Ricardo respondeu a pergunta sobre esse assunto, qual seja, se é possível batizar o filho mesmo não sendo casado na Igreja Católica. Veja:



Sobre os Padrinhos

O Código de Direito Canônico (Can 872 a 875) determina que, se possível, seja dado ao batizando um padrinho.
a) Função do Padrinho
Ao Padrinho cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto aos pais, apresentar ao batismo o batizando criança. Cabe também a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes.
Pode-se ter somente um padrinho ou uma madrinha e, também, um padrinho e uma madrinha.
b) O que precisa para a pessoa ser padrinho/madrinha?
1) Seja designado pelo batizando ou por seus pais, ou no caso de ausência pelo próprio pároco ou ministro, e tenha aptidão e intenção de cumprir esse encargo;
2) Tenha completado 16 anos de idade;
3) Seja Católico, confirmado (crismado);
4) Já tenha recebido o Sacramento da Eucaristia;
5) Leve uma vida de acordo com a fé (católica) e o encargo que vai assumir;
Não podem ser padrinhos pessoas de outras religiões ou filosofias de vida, amasiados (união estável), divorciados, casados somente no civil ou em uma igreja de outra religião ou pessoas que não tenham uma conduta cristã condizente.
6) Não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica legitimamente irrogada ou declarada;
7) Não seja pai ou mãe do batizando (nem esposo(a) de uma pessoa adulta que irá se batizar);
8) Solteiro ou Casado na Igreja Católica.
c) Pode um não-católico ser padrinho/madrinha?
Não.
Um batizado não-católico pode ser admitido junto com um padrinho católico, mais será apenas testemunha do batismo.
d) Por que um não-católico, batizado ou não, não pode ser padrinho/madrinha?
Os deveres dos padrinhos não terminam ao saírem da Igreja, depois da cerimônia: assumiram uma responsabilidade por toda a vida para com o bem espiritual do afilhado ou afilhada.
Na maioria dos casos, esta responsabilidade cumpre-se rezando pelos afilhados nas orações diárias e dando-lhes bom exemplo de vida cristã. Mas, se alguma coisa acontecer aos pais, compete aos padrinhos assegurar os meios para que o afilhado ou a afilhada recebam uma sólida formação na fé.
Se os pais negligenciam a formação católica dos filhos, torna-se dever dos padrinhos fazer tudo o que esteja ao seu alcance para suprir a negligência, como: ver se a criança já está sendo preparada para a primeira comunhão, para o crisma e, se não tiver, levá-las.
Portanto, o padrinho/madrinha deve ter por primeira condição serem ótimos católicos.
Ora, como um protestante, um espírita, um budista, um agnostico, um ateu vai ter esse cuidado, essa atenção, essa responsabilidade?
Ninguém dá o que não tem!

Portanto, não pode ser padrinho/madrinha: protestante, evangélico, espírita, agnóstico, ateu, umbandista, macumbeiro, etc...
e) Pode um noivo (a) ser padrinho/madrinho do seu noivo(a) batizando?
Pode, mais não deveria.
Pelo batismo, cria-se uma relação espiritual entre o afilhado e o padrinho, relação que é muito rela, e que constitui, portanto, um impedimento para o matrimônio de ambos. Se quem vai batizar-se é uma pessoa adulta, o seu noivo ou noiva não deveria apadrinhá-lo porque seria necessário obter mais tarde a dispensa para se poder celebrar o matrimônio.
f) O que fazer quando um padrinho/madrinha não podem comparecer a celebração do sacramento?
Nesse caso, o ausente pode delegar a sua presença, para isso basta estar informado do batismo, dar o seu consentimento e concordar em que alguém o represente. O melhor é enviar o consentimento por escrito, mencionando o nome da pessoa que o representará, e o documento deverá ser apresentado ao sacerdote quando se marcar a cerimônia.
O ausente será o padrinho real e será dele o nome inscrito no registro batismal; é ele ou ela quem assume a responsabilidade pelo afilhado(a).
g) Um Casal Homossexual pode ser padrinho/madrinha de Batismo?
Não! Pois não levam uma vida de acordo com a fé (católica) e o encargo que vai assumir; da mesma forma que um casal casado somente no civil ou que vive em união estável. Ver vídeo sobre o assunto clique AQUI!

Quem pode Batizar?

Podem batizar o Bispo, o Prebístero e o Diácono (Cân 861).
No entanto, em caso de necessidade, qualquer pessoa, que tenha a intençao exigida, pode batizar, utilizando a fórmula batismal trinitária; nesse caso, deve-se informar ao pároco para que seja registrado e para que se administre o restante da cerimônia batismal.

A Igreja Católica através do Código de Direito Canônico também determina que o nome dado aos fiéis não sejam alheios ao senso cristão (Can 855).

O que é Batismo de Desejo?

A Igreja reconhece o batismo de desejo aos catecúmenos, e também todos aqueles que sob o impulso da graça, sem conhecer Cristo e a Igreja, procuram sinceramente Deus e se esforçam por cumprir a sua vontade.

O que é Batismo de Sangue?

Uma vez que Cristo morreu pela salvação de todos, podem ser salvos mesmo sem Batismo todos os que morrem por causa da fé.

Esse batismo de sangue, assim como o de desejo, acarreta os frutos do Batismo, sem ser sacramento.

E sobre as crianças que morrem sem o Batismo?

A Igreja Católica na sua liturgia as confia à misericórdia de Deus.
Devemos orar pela salvação delas.

*Quem morre sem batismo vai para o Inferno?

Nós não sabemos e a Igreja nunca disse isso. Veja o vídeo do pe. Paulo Ricardo que responde essa pergunta:



A Igreja Católica reconhece o Batismo realizado em igrejas não-católicas?

Sim.
A Igreja Católica reconhece como válido o batismo realizado em igrejas não-católicas, no entanto, não considera como sacramento. Além disso, não são todas as igrejas que tem esse reconhecimento.
Assim, quem foi batizado numa igreja onde é reconhecido como válido o seu batismo não pode ser batizado novamente na Igreja Católica.
Não batizam validamente: 
a) Testemunhas de Jeová;
b) Ciências cristãs.
Pode-se duvidar do batismo realizado nas seguintes igrejas:
a) Igreja Pentecostal Unida do Brasil;
b) Igrejas Brasileiras;
c) Mórmons.
Nesse caso, deve-se batizar novamente, sob condição.
Batizam validamente:
a) Igrejas Orientais (ortodoxas que não estão em plena comunhão com a Igreja Católica);
b) Igreja Vétero-Católica;
c) Igreja Episcopal do Brasil (Anglicanos);
d) Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil;
e) Igreja Evangélica Luterana do Brasil;
f) Igreja Metodista.
Um cristão batizado em uma delas não pode ser novamente rebatizado, nem sob condição.
Quando se tem garantia de que o batismo foi realizado seguindo o modo prescrito nessas Igrejas não se pode batizar novamente, nem sob condição:
a) Igrejas Presbiterianas;
b) Igrejas batistas;
c) Igrejas congregacionistas;
d) Igrejas adventistas;
e) A maioria das Igrejas pentecostais;
f) Exercito da Salvação.

**Clique e veja ainda: QUE ROUPA USAR NO BATIZADO?

(Catecismo, Código de Direito Canônico, Livro A Fé Explicada de Leo J. Trese, site Cleofas)
* Atualização em maio/2012. Fonte: Christo Nihil Praeponere
** Atualizado em agosto/2012 

33 comentários:

  1. nossa amei esse post me ajudou muito pois tenho uma linda filha q ira batizar no domingo e tem amigos meus q sao evangelicos q queriam batiza-la mesmo sem saber direito nao dei a eles pra batizar e agora se me perguntarem tenho como explicar o por que?!!!

    ResponderExcluir
  2. Salve Maria!!
    Eliane, PARABÉNS!!
    Sei que é difícil negarmos isso para as pessoas que conhecemos, mormente quando familiar ou amigo muito próximo, porém, como católicos, temos que procurar seguir o que a nossa Santa Mãe Igreja ensina e sermos firmes, por mais difícil que seja. Vejo muitos casos de pessoas que não podem ser padrinhos (vivem em união estável, não vão na Igreja, etc.) e o são e de pessoas que são de seitas não cristãs e que usam o termo padrinho aleatoriamente e erroneamente.
    No seu caso, me surpreendeu um evangélico querer ser padrinho de batismo de uma criança, quando eles mesmos não batizam criança..rs
    PARABÉNS pelo batizado de sua filhota e que ela seja uma verdadeira católica com a bênção de Nossa Senhora e que você, o pai e os padrinhos dela saibam guia-la nos caminhos da fé católica!
    Deus os abençõe.

    ResponderExcluir
  3. Por que Maria é venerada? Vou mais adiante: por que Maria é venerada mais do que Jesus Cristo na Igreja Católica Apostólica Romana?

    O comentário anterior ao meu não citou nenhum momento nem se referiu a jesus, nosso Senhor e Salvador.

    É preciso se reverem alguns conceitos.

    ResponderExcluir
  4. Salve Maria!
    Thiago,
    Bem, embora o post não trate sobre esse assunto, mais sobre o batismo, vou responder ao seu comentário.
    Venerar uma pessoa não é pecado, nem condenado pela Igreja ou por Deus (pela Palavra de Deus).
    Na Bíblia nos é orientado a não adorar outro Deus. Quanto a venerar nada fala.
    E o que é venerar? Diz o dicionário Michaelis que é tratar com profundo respeito, respeitar muito, ter em grande consideração.
    Assim, respondendo a sua pergunta: Por que Maria é venerada? Porque na Bíblia, em Lucas 1, 48 a Palavra de Deus nos diz: "Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações."
    E é isso que fazemos! Que a Igreja Católica faz, observar o disposto na Palavra de Deus.
    Bem, quanto a Jesus, você está enganado e certo ao mesmo tempo. O fato de não ter sido citado o seu nome em um post não pode ser levado em consideração para julgar ou afirmar algo sobre uma Igreja que existe há bem mais tempo que a sua igreja.
    Realmente, veneramos mais Maria do que Jesus, pelo simples fato de que a Jesus nós Adoramos!
    E o que é Adorar? adorar é mais do que venerar. Diz o dicionário Michaelis que adorar é reverenciar, venerar, amar demais, idolatrar, gostar muito... Assim, adorar é, também, venerar, porém, venerar não é o mesmo que adorar, é menos que adorar! Entendeu?
    E por que adoramos Jesus? Porque Ele é DEUS-Filho!
    Concordo com você: É preciso se reverem alguns conceitos. Que tal você começar a fazer isso?
    Que Deus o abençõe, pela intercessão de Maria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como Maria pode interceder? Onde está escrito isto na Biblia? Quero muito ser convencida disto.

      Excluir
    2. Bom dia Sapatinho de Cristal!
      O conteúdo escrito na Bíblia é certo. Isto nós sabemos. Mas também sabemos que Ela é uma compilação das Escrituras Sagradas e o imperador Constantino foi responsável por isso. Mas isso é outra história embora seja importante ser lembrada (sou católico mas não me limitei a só enxergar o que me era imposto). Como visto na resposta dada por Graziela (diga-se de passagem, muito boa) sabemos do peso de ser a Mãe do Deus-Filho. Não sei se você é mãe, Sapatinho de Cristal, mas é de seu conhecimento de como um filho ama e a respeita sua mãe. E baseado nesta informação e no incondicional amor de Maria por nós e pelo Seu Amado Filho, ela ouve nossa súplica, ajudando-nos e confortando-nos pois também somos seus filhos. Mas como toda mãe, Ela conhece cada um de seus filhinhos, bem lá no íntimo. Enfim, sua pergunta creio eu, quando mencionada na Bíblia, principalmente no nascimento até os 12 anos de Jesus e em seguida, na Sua crucificação. Uma Mãe que sofreu a dor do parto, acompanhou seu crescimento (ainda mais sabendo quem Ele é) e o viu ser morto tem sim o poder de Interceder junto a seu Filho

      Excluir
  5. LOURENE e ROGERIO Onde esta dentro da palavra de Deus (Biblia) que devemos ser crismados? Essa forma de crisma não seria um ritual católico fundado num direito canonico inventado pelos homens e não inspirado pelo Espirito de Deus? Vale lembrar que as coisas de Deus são explicadas pela palavra de Deus e não por dicionários, doutrinas, ou comentários pessoais subjetivos. A Palavra diz que DEVEMOS AMAR A DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS e ainda NINGUEM VAI AO PAI SENÃO ATRAVÉS DO FILHO. Assim venerar outra coisa que não seja o FILHO não leva ao Pai. Se alguém não concorda com esse post deve procurar na Palavra a resposta, vez que foi Deus quem disse.

    ResponderExcluir
  6. Lourene e Rogério,
    Salve Maria!
    Primeiro: Respondendo a pergunta de vocês, qual seja, "Onde esta dentro da palavra de Deus (Biblia) que devemos ser crismados?" Se vocês realmente tivessem lido a Bíblia iam ver que a resposta está em At 8, 14-17: "Tendo ouvido que a Samaria acolhera a palavra de Deus, os Apóstolos, que estavam em Jerusalém, enviaram-lhes Pedro e João. Estes, descendo até lá, oraram por eles, a fim de que recebessem o Espírito Santo. Pois ele ainda não descera sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em nome do Senhor Jesus. Então começaram a impor-lhes as mãos, e eles recebiam o Espírito Santo". (At 8, 14-17).
    Se tivessem lido o meu post sobre o Sacramento do Crisma/Confirmação, também teriam visto essa resposta lá: http://comosercristacatolica.blogspot.com.br/2010/07/sacramento-da-confirmacao-ou-crisma.html.
    Segundo: Venerar é diferente de Adorar. Leiam o Dicionário e irão ver que quem adora também venera, porém, quem venera não está sempre adorando! E, nós adoramos e veneramos também o FILHO, pois ele é uma das pessoas da Santíssima Trindade!
    Terceiro: Me admira vocês não crerem na Igreja Católica, porém, lerem a Bíblia onde está os livros que a Igreja Católica disse serem inspirados!! Contraditório, não?!
    Que Deus os abençõe, pela intercessão da Mãe de Deus FILHO (Jesus), e nossa Mãe, Maria Santíssima!

    ResponderExcluir
  7. Batizei uma criança e não sou católica. Me arrependo de não ter dito não aos pais. Meu marido que é católico batizou junto comigo. Ele é tio-avô do menino. Tem como desfazer isto? É um batismo válido? A criança pode ser prejudicada por este fato? Ela deve ser batizada novamente, ou pode ser considerada batizada só pelo tio que é católico e eu me considero apenas testemunha. Queria muito resolver isto. É algo que me incomoda demais. Obrigada pela ajuda.

    ResponderExcluir
  8. Salve Maria!
    Oi querida,

    Primeiro: Você errou, mas os pais também erraram ao não questionarem vc sobre a sua religião. Imagino que eles sabiam que vc não era católica/não frequentava a Igreja Católica;

    Segundo: O batismo é válido; a criança não será prejudicada, até porque, ainda há o Sacramento da Confirmação do Batismo (ou Crisma) que ela deverá/poderá receber quando for adolescente/adulto;

    Terceiro: Como não é necessário um casal para o batismo ser válido, bastando uma pessoa (homem ou mulher), seu marido é, de fato, o padrinho e vc testemunha.

    Tranquilize o seu coração.
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Gostaria de saber porque uma pessoa divorciada não pode batizar uma criança. Principalmente se o término do casamento não foi por culpa da pessoa que está sendo convidada a ser madrinha e sim por causa do marido que a traiu mantendo um segundo relacionamento (amante). Neste caso se a pessoa continua seguindo os preceitos católicos porque a igreja a pune se o divórcio veio porque o marido foi contra um dos mandamentos e não a esposa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!
      Oi Paty,

      A norma da Igreja, como colocado, é que a pessoa tem que viver a vida conforme a fé católica.

      Se a pessoa é divorciada, porém, segue os preceitos católicos (não vive uma segunda união, não namora), ela pode confessar e comungar e, ao meu ver, pode também ser padrinho/madrinha.

      Agora, sabemos que a Igreja Católica não aceita o divórcio e, normalmente, mormente hj em dia, as pessoas divorciadas querem ser "felizes" e vivem vários relacionamentos fora do matrimônio, portanto, vivem em pecado e a Igreja não tem como saber se aquele divorciado vive uma vida conforme os preceitos católicos ou não; assim, a priori, o divorciado não pode ser padrinho/madrinha.

      Sugiro que vc converse com o seu pároco e pergunte se vc, que vive retamente e não encontra-se em pecado (apesar de divorciada) pode ser madrinha.

      Deus a abençõe.

      Excluir
    2. Bom dia Graziela! Em consulta à internet sobre o batismo católico, deparei-me com seu comentário quanto à possibilidade de pessoas divorciadas serem padrinhos ou não, postado em 20 janeiro de 2013.
      Gostaria de deixar minha crítica positiva sobre as palavras que ofereceu à Patty Cury.
      Penso que esclarecer que para a igreja o sacramento do casamento é eterno (exceto quando haja a nulidade permitida pelo Vaticano), e que um segundo relacionamento, mesmo com reconhecimento civil, é considerado adultério para a igreja, ou seja, pecado, já bastaria para esclarecer a questão do batismo, sem haver a necessidade de humilhar as pessoas que infelizmente viveram a tragédia do divórcio.
      Aliás, a igreja não tem mesmo como saber se qualquer fiel, casado, solteiro ou divorciado, vive uma vida conforme os preceitos católicos. Essa vivência vai da consciência e compromisso ético e espiritual de cada um.
      Mas num mundo em que as mulheres ainda são tratadas de forma tão desrespeitosa, inclusive como cita a Patty, que foi traída pelo esposo, vale a pena valorizar o que de melhor a igreja católica nos oferece, quais sejam a tolerância, a humanidade, o respeito, a humildade, enfim, a prática do bem, ao contrário de levantar o preconceito contra pessoas que infelizmente não puderam dar continuidade ao desejo e à promessa diante de Deus de viver para sempre ao lado do par escolhido.
      Cito o meu caso. Me casei muito jovem com meu primeiro namorado. Fui casada por 12 anos e tive 4 filhos desse casamento. Meu esposo teve vários casos extra-conjugais durante esses anos, inclusive teve filhos com mais de uma mulher fora do casamento. Quando me casei na igreja foi com a certeza de que seria para sempre! Não me separei por capricho ou leviandade. Eu levei meu casamento até o limite da dignidade de uma mulher! Hoje ele é casado no civil com uma de suas antigas amantes e querem se casar na igreja. Com esse objetivo, e tão desesperado ele está para não viver “em pecado” com a atual esposa, que criou uma história permeada de falsos testemunhos para solicitar à igreja a nulidade do nosso casamento.
      Não é pecado maior mentir, inclusive para a própria igreja? Mas quem sou eu para julgá-lo se sei que o seu desejo é viver com a atual esposa conforme os preceitos da igreja?
      Não há mais possibilidade de reconciliação entre nós.
      Eu mesma tive uma união estável com outro homem durante 10 anos após o divórcio. Ele foi o primeiro e único namorado que tive após estar divorciada. Tive dois filhos com ele.
      Hoje eu vivo para os meus filhos e neta!
      Dou esse testemunho, Graziela, para exemplificar que ao postar numa página em que a grande maioria das pessoas busca orientação, consolo e apoio, tenhamos o cuidado de não propagar o preconceito e uma ideia negativa e deturpada sobre as pessoas divorciadas, pois são inúmeras aquelas que buscam sim, a felicidade, mas para isso não precisam viver na promiscuidade, não "vivem vários relacionamentos fora do matrimônio”.
      Lembrando, ainda, que cabe somente a Deus julgar qualquer um de nós!

      Excluir
  10. Boa tarde!
    Infelizmente estou a escrever por um motivo muito triste.
    Descobri pela minha filha mais velha que o meu filho mais novo foi baptizado sem eu ser avisado e pelo disto tudo ainda estar em processo dos menores em tribunal.

    Além do mais eu sou católico e fazia questão de ver o meu filho sendo abençoado pela água de Deus.

    O meu filho chama-se LUCA GRABRIEL DE OLIVEIRA ANDRADE, natural de VISEU e baptizado na igreja de Miragaia.

    O que me tem a dizer para minimizar a dor?

    RUI ANDRADE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!

      Oi Rui,

      Realmente é uma pena vc ter perdido o batizado dele, momento único, mas, creio que há duas coisas que vc deve lembrar e que podem acalantar o seu coração:

      1) O seu filho agora é cristão (católico) e isso é mais importante e valioso e deve se sobrepor ao fato de vc ter perdido o batizado dele;

      2) Tem ainda a renovação do batismo, crisma ou confirmação, que você, se Deus quiser, estará presente para ver quando ele for adolescente. (sem falar da primeira comunhão)

      Que Deus o abençõe e que a alegria de saber que seu filho agora é cristão seja maior do que a tristeza de não ter participado desse momento.

      Excluir
  11. Olá, sou filha de pai católico e mãe evangélica, porém quando nasci não fui batizada em nenhuma igreja, quando era criança fraquentava a católica com minha avó e sempre gostei, quanto estava com 12 anos ja afastada de minha avó fui batizada na igreja adventista por influencia do meu irmão, depois fui me afastando aos poucos da adventista pq me sinto católica e gosto muito da catolica,hoje com 22 anos gostaria muito de poder me batizar, quero saber se realmente posso, se posso frequentar a catolica se posso me considerar catolica usar escapulario, hoje é o meu desejo,quero poder fazer parte da igreja, me faria muito feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!!
      Oi Adriane,
      Fiquei muuuito feliz e comovida com o seu testemunho.
      Sobre os seus questionamentos, segue as respostas e orientações:

      1) Como já colocado no texto acima, a Igreja Católica aceita o batismo realizado na Igreja Adventista, assim, você JÁ FOI batizada e NÃO PODE/PRECISA ser batizada na Igreja Católica (salvo se o batismo ocorrido não seguiu os preceitos descritos);

      2) Sim! Você pode/deve frequentar a Igreja Católica, ir na Santa Missa (sem comungar!/pode comungar espiritualmente), pode começar a confessar-se (embora só deva comungar após a catequese/primeira comunhão). Agora, para se considerar católica precisa inscrever-se em um curso de Catequese (na paróquia próxima a sua casa) para a Primeira Comunhão E para o Crisma (ou Confirmação).
      PS: Normalmente esses cursos começam no início do ano e vão até o final do ano e já começaram ou estão começando agora em março/abril. Os dois cursos podem ser feitos ao mesmo tempo. No final do ano você vai receber a primeira comunhão e a confirmação (crisma) do batismo. Aí, será uma verdadeira CATÓLICA! Procure urgente a paróquia mais perto de sua casa e confesse/converse com o padre, que irá te orientar sobre os cursos e o que vc deve fazer.

      3) Sim! Você pode usar o escapulário, que deve ser colocado por um sacerdote e ser de tecido. Sugiro que espere até o dia 16 de Julho (dia de Nossa Senhora do Carmo), para que o padre abençõe o escapulário e imponha em você, especialmente se na sua cidade tiver uma paróquia dedicada a nossa Senhora do Carmo ou um Mosteiro Carmelita. Será uma data especial para você.

      E, você também pode rezar o terço ou rosário!

      :)

      Que Deus a abençõe e Nossa Senhora do Carmo interceda por você, pela sua conversão, pela sua aproximação da Igreja!

      Excluir
  12. Oi, quantos padrinhos e madrinhas pode ter num batizado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria,

      Oi Munik

      Isso está escrito no post, quando fala da Função dos Padrinhos: "Pode-se ter somente um padrinho ou uma madrinha e, também, um padrinho e uma madrinha."

      Ou seja, cada criança pode ter, no máximo, dois padrinhos sendo: 1 mulher E 1 homem. Pode também ter somente 1 padrinho OU 1 madrinha, ou seja, não é obrigatório que sejam dois; mais não pode ser mais de dois.

      Agora, NÃO PODE TAMBÉM:

      a) ser dois homens;
      b) ser duas mulheres.

      Se você escolher que seu filho(a) tenha dois padrinhos estes devem ser um casal, ou seja, um homem e uma mulher.

      Espero que tenha conseguido tirar suas dúvidas. E sugiro que releia o texto para ver quais as condições que uma pessoa deve ter para ser padrinho/madrinha.

      Que Deus a abençõe.

      Excluir
    2. Salve Maria!

      Lembrei que tem a chamada: "Madrinha de Consagração", assim, você pode chamar outra amiga/irmã para ser madrinha de consagração a Nossa Senhora, porém, liturgicamente e para a Igreja ela não é madrinha e seu nome não constará nos documentos.

      Que Deus a abençõe!

      Excluir
  13. Olá!
    Uma pessoa batizada na igreja batista, seguindo os preceitos de batismo em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; que confirme, e assegure que escolha religiosa dos pais é a que ela apoiará a criança a seguir, mesmo na ausência dos pais; que aceite essa responsabilidade, e a faça valer não pode ser madrinha/padrinho?
    Acredito que existe de fato muito preconceito dos evangélicos quanto ao batismo de crianças, mas apesar de ter sido batizada em igreja batista segundo os preceitos anteriormente apresentados, me sinto extremamente confortável em orientar a minha afilhada à seguir a fé cristã, na igreja católica que é o desejo dos pais dela...Não existe preconceito da minha parte, mas sim um compromisso de levar a menina a seguir o caminho correto, independente de que formação religiosa tive na infância.
    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!
      Oi Renata,
      Respondendo a sua pergunta: Conforme determina a Igreja Católica, NÃO!

      Para poder orientar uma pessoa a seguir os preceitos da fé católica você deve: leva-la a santa missa todos os domingos e dias santos (deve saber quais são eles), falar sobre a presença real de Jesus na eucaristia, leva-la na catequese para a primeira comunhão (todo final de semana), na catequese para receber o crisma (todo final de semana), orientar a criança sobre a confissão COM O SACERDOTE, sempre que estiver em pecado mortal, a partir dos 07 anos de idade, saber quais os dias de jejum e abstinencia, conhecer o que a Igreja ensina sobre moral católica, conhecer os dogmas da Igreja, falar sobre Maria Santíssima, ensinar as orações católicas: Pai Nosso, Ave Maria, Salve Rainha, Credo, etc... ensinar a criança a rezar o terço/rosario, ensinar a criança sobre os santos/santas da Igreja... ler o catecismo/bíblia católica (que é diferente da protestante)...

      Penso que, por mais boa vontade de você tenha, há coisas aqui que serão bem difíceis para você, por não conhecer, por não crer... como vamos ensinar para alguém algo que não conhecemos? como ensinar algo que vai contra o que acreditamos?

      Que Deus abençoe vc e, especialmente, a sua "afilhada". Espero que ela tenha um padrinho católico e atuante para poder compensar as falhas de conhecimento que você terá.

      Excluir
  14. Se o pecado foi cometido por Adão e Eva, porque ele foi passado para todos nós? Eu não posso ser julgado pelo o pecado de outra pessoa, seremos julgados segundo nossas obras.

    ResponderExcluir
  15. Quantos casais posso convidar para padrinhos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!

      Somente um casal para cada filho.

      Mas, não precisa ser casal, pode ser somente um padrinho OU somente uma madrinha.
      E o casal não precisa ser casado entre si.
      Agora, se o padrinho/madrinha forem casados, deve ter sido na Igreja Católica.

      Devem:
      a) ter mais de 16 anos;
      b) serem CATÓLICOS e CRISMADOS;
      c) casados na Igreja Católica;
      d) não podem viver em União Estável;
      e) não podem ser divorciados e/ou viverem em segunda união;
      f) não pode ser casais homossexuais;
      g) devem levar uma vida de acordo com a fé católica e o encargo que vão assumir.

      Que Deus abençõe você e seus filhos, pela intercessão da Virgem Maria.

      Excluir
  16. boa tarde, fiquei muito feliz com o seu comentario a respeito do Batismo, na minha comunidade agente questiona muito sobre quem pode e quem nao pode batisar ou ser batizado, e graças a Deus eu encontrei as palavras certa para passar para as pessoas. agradeço a Deus por voce e peço muitas bençao e sabedoria. e que por interseçao de nossa senhora voce seja abençoada´por Deus. paz e bem pra voce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!
      Obrigada. Que bom você ter gostado, muito bom saber que ajudei alguém a tirar suas dúvidas.
      Que Deus abençõe você e sua comunidade.

      Excluir
  17. Olá, fiquei com uma dúvida a respeito desta parte do texto:

    "A Igreja Católica reconhece como válido o batismo realizado em igrejas não-católicas, no entanto, não considera como sacramento."

    Sempre pensei que a Igreja o batismo não católico, mas válido, fosse sacramento também.

    Gostaria de entender isso melhor.

    Cordialmente,
    Adriano

    ResponderExcluir
  18. Olá! Sou católica e meu marido também! Na época do meu casamento fiz toda a preparação na igreja para me casar, mas perto do casamento o padre não pode celebrar e então um bispo da igreja anglicana o fez e fomos informados que tal cerimônia valeria na igreja católica. Queria saber se é verdade.
    Gostaria de saber se para renovar os votos do matrimônio poderia nesse caso. Grata!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nane, sim, o seu casamento é válido para a Igreja. Na verdade qualquer pessoa pode assistir um casamento com a permissão do Bispo. Para nós católicos que "realiza" o Sacramento do Matrimonio são os noivos.

      Excluir
  19. Um irmão de comunidade (Renovação Carismática) foi batizado quando criança e teve como padrinhos Nossa Senhora e São José. Como isso é possível? gostaria de saber sobre padrinhos Santos! Na crisma também pode ter padrinhos Santos?

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde. Meu nome é Leandro e tenho 26 anos. Sou católico totalmente praticamente, faço parte de 3 grupos na igreja, sou coordenardor de um deles, vou à missa todo domingo e praticamente toda quarta, tenho primeira comunhão, porém não sou crismado e fui convidado para ser padrinho de um primo, aceitei e só fiquei sabendo que eu não podia batizar no dia do curso de batismo. E agora, como faço?O batizado está muito próximo, posso batizar e depois fazer a crisma?

    ResponderExcluir
  21. Bom dia!
    Tenho uma duvida. Meu namorado é catolico praticante. Tivemos uma filha ele quis batiza la na igreja catolica. Eu concordei, minha duvida é se o batismo dela é valido? Pq eu não fiz o curso de batismo e os padrinhos dela são Santa Filomena e o padre da paroquia que ele frequenta. Esse batizado foi feito de acordo com as intruções do padre. Ninguem na igreja sabe que ele teve uma filha. Pois o padre disse que seria um escandalo para a igreja se soubessem que meu namorado teve uma filha sem união. O que faço?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...